Quinta do Barco Cheio
Lagos | Algarve | Portugal

Asinoterapia - terapia assistida por burros


Criança a dar festas a dois burros.

Os Burros da Quinta do Barco Cheio são utilizados em sessões terapêuticas como instrumento de estimulação a nível cognitivo, físico, motor e emocional com pessoas portadoras de vários tipos de deficiência.

A estas práticas têm recorrido utentes de instituições locais e regionais.

As várias utilizações do Burro na actualidade, tanto nacional como internacionalmente, são objecto de estudo e desenvolvimento da Associação Orelhas sem Fronteiras de que Liesbeth Bronswijk faz parte.

Deficiente a fazer festas a um burro.

contactar

Deficiente a guiar um burro para comunicar com ele.

guiar e comunicar

Telheiro para abrigar e tratar dos burros.

abrigar para trabalhar


Actividades de Ar Livre e Natureza


Vista da a piscina circular.

Os hóspedes da Quinta do Barco Cheio podem percorrer todos os seus espaços e participar nas tarefas agro-pecuárias. Toda a ajuda é bem-vinda.

Eventualmente podem vir a cruzar-se e, se assim o desejarem, interagir com os utentes da asinoterapia, estagiários ou com seniores que ajudam na horta ou que visitam os burros para estimular as suas memórias mais antigas. É certamente uma experiência diferente e muito gratificante.

As zonas de estar como o antigo tanque de rega transformado em piscina, o grelhador coberto que lhe está associado e outros recantos frescos e cómodos proporcionam a fruição do espaço natural envolvente.

Sete burros na pastagem.

burros na pastagem

Almoço de seis pessoas no alpendre do churrasco.

no BBQ

Dois burros que visitaram a quinta do Barco Cheio.

os visitantes


Produtos da Quinta


Galinhas e pintos a depenicarem.

A produção da horta é feita através de práticas amigas do ambiente, e da saúde, sem a adição de adubos de síntese. A compostagem e o estrume produzido pelos burros garantem a maior qualidade aos produtos e seus transformados como a marmelada e compotas.

Os hóspedes da Quinta do Barco Cheio são convidados a colher e consumir o que existir na época: tomate, alface, nêsperas, marmelos, uvas, pêras, maçãs, damascos, plantas condimentares… os ovos também provém das nossas galinhas e, para quem não está habituado, percebe-se o esquecido sabor do ovo…

A electricidade é produzida por painéis fotovoltaicos, água é aquecida pelo sol e as águas sujas são depuradas através de plantas.

Figos pendurados na figueira.

Figos

Nêsperas penduradas na nespereira.

Nêsperas

Artichoke

Alcachofras